sábado, 25 de abril de 2015

GENÁRIO ALVES FONSECA, CRIADOR DA TV UNIVERSITÁRIO - NATAL

Nascido em 12 de janeiro de 1923, Genário Alves Fonseca foi um soteropolitano que fez história no território potiguar. Enquanto Reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – no período de 1971 a 1975 - prestou louváveis contribuições ao desenvolvimento da educação e cultura da região, mudando o perfil do ensino público superior no âmbito deste Estado. 

Farmacêutico de formação, ingressou na UFRN em 1961, como professor da Faculdade de Farmácia, ocupando depois o cargo de diretor do Laboratório Farmacêutico de Produção Industrial. Em 1971 assumiu a Reitoria e durante sua gestão implantou o Campus Universitário no ano de 1972. Antes, as sedes das faculdades eram espalhadas pela cidade. Também nesse ano, a UFRN implantou a Televisão Universitária, pioneira no Estado. 

Outra realização marcante

da sua gestão foi a interiorização da Universidade, com a instalação, em 1973, do primeiro Núcleo Avançado, na cidade de Caicó. Nesse período também foram realizados convênios com a Sudene, com a Organização Pan-Americana de Saúde e com a Comissão de Energia Nuclear.

O atual Reitor da UFRN, José Ivonildo do Rêgo, publicou nota no site da universidade sobre Genário Fonseca. “O universo humano é feito de figuras, cujas vidas ganham realce na medida em que delas fazem um constante exercício de lutar. O ex-reitor Genário Fonseca foi uma dessas figuras. Com a grave incumbência de substituir o reitor Onofre Lopes num momento em que a Universidade Federal do Rio Grande do Norte dava os primeiros passos em sua expansão, liderou a vinda dos diversos núcleos espalhados pela cidade para o atual Campus. E a despeito das dificuldades, próprias do período discricionário vivido pelo país e pelo estado, iniciou a implantação que certamente se soma à tarefa de criação dos pioneiros. Ante seu falecimento quero, em nome da Instituição, transmitir aos seus familiares e amigos o nosso mais sentido pesar e o reconhecimento da sua participação nessa obra”.

Genário Fonseca exerceu outros ofícios não menos relevantes: professor da própria Universidade Federal do Rio Grande do Norte, foi Major da Aeronáutica, Conselheiro efetivo do Conselho Federal de Farmácia, Diretor e Membro Honorário da Faculdade de Farmácia da UFRN, Presidente – em quatro mandatos – do Conselho Regional de Farmácia, Presidente da Associação norte-rio-grandense de farmacêuticos – em dois mandatos. 

O historiador Luís Antônio Porpino destacou o tino empresarial de Genário Fonseca. “Como empresário, ele foi pioneiro em diversos setores. Entre eles, o aproveitamento  da mamona. Foi ele quem convenceu os empresários do sul e sudeste a investir na mamona”, disse Porpino.

Para os amigos, o traço forte de Genário Fonseca era a determinação e a lealdade. “Ele era um grande amigo. Um homem firme nos seus posicionamentos e leais às suas convicções. Deixou um belo legado de trabalho para os seus filhos”, disse  advogado, Joanilson Rego.

O empresário Paulo de Paula definiu-o como uma pessoa dinâmica e de personalidade forte.  “Nos conhecíamos há 35 anos e é uma pessoa que vai deixar saudade. Sempre foi um homem  proativo, forte e muito amigo dos amigos”, disse o empresário
Faleceu no dia 10 de fevereiro de 2010

FONTE – TRIBUNA DO NORTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
É PRECISO SABER USAR DA LIBERDADE. COM ELA CENSURAMOS OU APLAUDIMOS O QUE DEVE SER CENSURADO E O QUE DEVE SER APLAUDIDO. MAS NÃO PODEMOS ABUSAR DESSE PRIVILÉGIO PARA ASSUMIR ATITUDE QUE NÃO CONDIZEM COM A CIVILIDADE OU COM A DECÊNCIA. VERIFICAMOS QUE A IMENSA MAIORIA DOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO PERTENCEM A GRUPOS POLÍTICOS, DAÍ AS "INFORMAÇÕES" NA MAIORIA, NÃO POLÍTICAS E SIM, POLITIQUEIRAS, OU SEJA, UM GRUPO QUERENDO DERROTAR O OUTRO. É UMA VERGONHA! QUEM ESTÁ NA SITUAÇÃO, O POLÍTICO PODE SER O PIOR DO MUNDO, MAS PARA EMPREGADO ELE É O DEUS DA TERRA; NO LADO DA OPOSIÇÃO, O RADIALISTA OU JORNALISTA PASSA PARA A POPULAÇÃO QUE O GOVERNO NÃO FAZ NADA, PORÉM, NO INSTANTE QUE O PODER EXECUTIVO PASSA A INVESTIR NO TAL MEIO DE COMUNICAÇÃO, ATRAVÉS DE PROPOGANDA OU DAR UM CARGO COMISSIONADO AO DONO, AÍ, LOGO JORNAL, A EMISSORA E A TELEVISÃO MUDA O DISCURSO. DAÍ, COMO FICA O COMUNICADOR QUE ANTES FALAVA MAL DE TAL POLÍTICO, TER QUE PASSAR A ELOGIÁ-LO!!!